quinta-feira, 20 de abril de 2017

Capela de São João da Fraga - Mistérios de Pitões das Júnias

 Capela de São João da Fraga – Mistérios de Pitões das Júnias
 Era uma vez uma capela mágica no topo de uma fraga com mais de 1100 metros. É misteriosa e ninguém conhece a sua origem ou história. No seu interior permanece a pequena imagem de São João, e em nome dele os aldeões de Pitões das Júnias rumam serra acima todos os anos, num dos percursos mais ingremes e mais emblemáticos da região. O Carvalhal do Teixo acalma as dores da viagem, e a Primavera ajuda a recuperar todas as energias numa paisagem soberana e florida. Mantemos os olhos presos nas outras fragas de Pitões, os animais convivem pacificamente com a nossa passagem, e o prazer de estar inserido naquele enquadramento da Natureza é de um valor inestimável. Tudo é de uma magnitude celestial, o esforço e o prazer, a dureza e a beleza de cada passo, o equilíbrio perfeito de energias, um yin-yang poderoso que nos conduz num movimento que flui e que respira de pulmões bem abertos a alegria intensa de explorar o melhor de Portugal, e de nós mesmos.
Texto Ana Carina Sanches
Fotografias Zito Colaço
Em cima: Capela de São João da Fraga
 Subida para a Portela da Lage
 Mariola
 Ribeiro

 Carvalhal do Teixo



 Ao fundo do lado esquerdo: Fonte Fria e Roca Sendeia. Fraga da Brazalite à direita
 Ao fundo: Pitões das Júnias





 Capela de São João da Fraga
 Fojo do Lobo

Pinheiros Rastejantes - Árvores Imaculadas

 Pinheiros rastejantes – árvores imaculadas
 Em São Pedro de Moel encontrámos pedaços de céu espelhados na mata em frente ao mar. Caíram na terra fértil como raios enfeitiçados de carisma e decididos a permanecer iguais na destreza de serem tão diferentes e especiais. Perfeitas obras de arte esculpidas pelo vento, caprichos da Natureza que nos ensina o significado da resiliência no mundo selvagem. Representam de forma singular a beleza da garra pela sobrevivência, a luta com o lado feroz e violento da ação das tempestades marítimas, onde os pinheiros se vergam, rastejam, enrolam, contorcem, mas resistem. São pinheiros guerreiros, que de mansos se transformaram em lendas, de alma imaculada, para protegerem os seus parceiros, das marés cruéis da vida. São os da linha da frente, verdadeiros soldados da paz, de coragem pendurada no rosto, dando sempre a outra face ao infortúnio, para defender o seu território, a sua honra, a sua espécie e a sua história. Deve ser em honra destes heróis, que as lágrimas são salgadas.
Texto Ana Carina Sanches
Fotografias Zito Colaço











terça-feira, 18 de abril de 2017

Eucaliptos do Tremelgo - Gigantes da Natureza

 Eucaliptos do Tremelgo – Gigantes da Natureza
Moram no Tremelgo, Marinha Grande, numa floresta encantada, com parque de merendas e histórias sem fim. Abrem-nos as portas e escancaram-nos a alma instantaneamente. São árvores de coração gigante. Onde não me chegam as palavras ao papel, tamanha distância, entre o deslumbramento e poder traduzir a magia. São ninhos, colos que embalam, raízes que abrigam. Covil de todo o olhar selvagem que a vida comporta, em busca de proteção e conforto. Guarida para todo e qualquer cansaço, porto seguro para os caminhos que se agarram aos nossos pés. Refúgio secreto para os tesouros da alma. Esconderijo insuspeito dos desejos mais primários do ser humano. Amparo e regaço materno, com a cumplicidade cega do toque que dilacera o sentimento mais profundo. Sente-se o pulsar no Universo em cada abraço, fundem-se mundos sem egos nem resistências. Poesia pura que emerge da terra e cospe eternidade como um vulcão em erupção em prosas escritas no silêncio do Tempo.
Texto Ana Carina Sanches
Fotografias Zito Colaço





Monumento Natural do Cabo Mondego e Serra da Boa Viagem

 Monumento Natural do Cabo Mondego e Serra da Boa Viagem
 Vizinho da Figueira da Foz, e banhado pelo Atlântico, ergue-se, como um guerreiro valente saindo vitorioso de uma batalha decisiva, o cabo Mondego, com as suas majestosas falésias escarpadas de cerca de 40 metros. Em 2007 foi classificado como Monumento Natural e é internacionalmente reconhecido o seu interesse a nível geológico, apresentando um variadíssimo leque de vestígios Jurássicos incluindo uma pegada de dinossauro. De beleza indiscutível, a paisagem na Serra da Boa Viagem abarca ainda o Farol do Cabo Mondego, que vigia os mares e as estrelas, e os sonhos que navegam cada raio de sol que se deita, se mansinho, na linha azul do horizonte.
Texto Ana Carina Sanches
Fotografias Zito Colaço





Casa na Árvore - Sonhos que crescem dentro de nós.

 Casa na Árvore – sonhos que crescem dentro de nós!
Quem nunca sonhou em plena infância com a casa na árvore? Há sonhos que crescem dentro de nós, e se fazem presentes num tempo onde não se contabiliza o passar dos anos. Há sonhos que marcam, que ficam e que permanecem. Porque o resgate da criança interior que habita em cada ser, devolve-nos a essência da felicidade e a direção da nossa humanidade. Passa a ser uma árvore que vive dentro de uma casa onde todos os sonhos podem entrar, espreitar à janela, brincar como se o mundo nos sorrisse sempre de volta. E sabe tão bem!
Texto Ana Carina Sanches
Fotografias Zito Colaço


Monte São Bartolomeu - Monte de lendas e romarias

 Monte de São bartolomeu –Monte de lendas e romarias
Entre as dunas e o pinhal de Leiria, fica este monte panorâmico junto da Nazaré. No cume temos uma capela e uma torre de vigia florestal. Combinação preciosa, se entendermos a floresta e toda a magia daquela vegetação que nos encaminha na subida, como uma dádiva divina, que merece um templo para ser apreciada e adorada. Com o dom da simplicidade podemos ver o extraordinário a brotar no topo do monte, onde um pinheiro nasce de uma rocha, e se destaca modestamente da banalidade do mundo do provável, restaurando em nós a fé em dias melhores, sempre. Foi a nossa caminhada de Páscoa. A passagem, como significa o nome, para um mundo com menos impossíveis nos degraus e desníveis da vida quotidiana.
Texto Ana Carina Sanches
Fotografias Zito Colaço